ULTRA BRUNO RIBEIRO

ULTRA BRUNO RIBEIRO

quarta-feira, 21 de julho de 2010

MARATONA INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO


Neste domingo último encarei a terceira maratona da minha vida, a Maratona Internacional do Rio de Janeiro. Após a decepção na Maratona de São Paulo este ano, resolvi me preparar melhor para encarar este novo desafio e para minha surpresa, o resultado foi bem melhor do que o esperado.
Antes de mais nada peguei o avião na sexta feira cedo, para conhecer a cidade maavilhosa, um sonho de criança. Embora tenha encontrado o tempo nublado, peguei meu kit na ótima feira da prova, e dei um pulinho na famosa feira do Saara, e como estava com minha mãe fiquei andando e esperando a tarde inteira.
Já no sabado não me intimidei com a fina garoa e passei o dia todo conhecendo o Rio. Logo cedo fui ao maracanã e tive a oportunidade de ir nas arquibancadas, conhecer as instalações e entrar no campo. Após conhecer o templo do futebol rodei todo o centro histórico e as praias (copacabana, ipanema, leblon, etc) e depois fui ao pão de açucar e fiquei maravilhado com as paisagens vistas lá de cima do primeiro e segundo bondes. Já na parte da tarde fui ao Cristo e para meu azar o parque do corcovado estava fechado, mas no domingo após a corrida dei uma esticada até lá, cheguei até a perder meu voo por isso mas realizei o sonho de conhecer uma das sete maravilhas do mundo. Conheci também o bucólico Morro de Santa Tereza no final do dia.




Por volta das 19:30 fui dormir, independente da ansiedade que rasgava minhas veias, afinal eu não parava de pensar na grande prova do dia seguinte.




Ás 04:30 da manhã acordei e ás 05:00 fui para o Aterro do Flamengo, para em seguida ir ao Recreio dos Bandeirantes, local da largada. O clima estava ótimo, beirando os 20 graus e trinta minutos antes fiz um aquecimento e senti a chata dor de lado. meu emocional já ficou meio capenga, mas imediatamente parei o aquecimento e decidi esperar a largada.
Minha intenção era de completar a prova em 03:40:00, tempo limite para entrar no Ranking Brasileiro de maratonistas da revista contra relógio, e para realizar este feito eu tinha que baixar 12 minutos do meu tempo em Curitiba que foi de 03:52:34.
Na largada a multidão atrapalhou um pouco e fechei o primeiro quilometro em 00:05:50, mas tinha consciência que tinha que manter 00:05:00 por km durante os sofridos 42 km. Já no terceiro km fui ultrapassado por dois atletas com tatuagem do Iron Man, e decidi seguir o pace dos mesmos caso aguentasse, e fui junto até o km 21, quando um deles deu uma segurada no ritmo para tomar um sachê de gel, sendo assim, ultrapassei os mesmo e continuei no mesmo ritmo aproximadamente 00:04:45/km. Ao chegar na única subida forte da prova, na ponte de São Conrado, forcei bastante, afinal vinha da prova do desafio da mata atlântica 02 semanas antes e estava preparado para encarar subidas, e foi ai que passei vários atletas. Em Copacabana, lá pelo km 30 estava morrendo de vontade de urinar e avistava alguns atletas parando em banheiros quimicos para urinar, mas parei para pensar, e tinha em mente que estava fazendo uma prova perfeita para minhas limitações é claro, e ao pegar dois copos d´água mandei ver na roupa mesmo e joguei agua por cima. Aquela linda praia com toda a burguesia em sua orla, munida de seus carros importados ou de seus cachorros de raças que eu nem sei pronunciar o nome, presenciou um maluco urinando nas calças e rindo muito por isso, afinal ele estava feliz da vida, pois sabia que além das dores que não eram poucas, estava fazendo uma prova maravilhosa, realizando assim mais um sonho em sua vida.



Por volta do km 33 estava muito cansado e o famoso fantasma da maratona bateu no meu ombro mais uma vez, com o intuito unico e exclusivo de me fazer desistir, mas este era o meu dia e pensei comigo mesmo que hoje seria necessário ele vir junto com sua familia inteira se quisesse me quebrar durante a prova. Já no km 40 estava acabado, mas estava ciente que estava mantendo o ritmo desde o começo e os 2 km finais parece que duraram uns 2 anos para chegar mas o apoio e incentivo da galera na praia me empurravam rumo ao pórtico de chegada.

Ao chegar segurei as lágrimas e agradeci a Deus por mais esta conquista divina em minha vida, e só após isso lembrei de parar o cronometro do relógio, e quando olhei para o mesmo nem acreditei ao ver meu tempo final 03:27:06.
Fiquei super satisfeito em completar minha terceira maratona, e em poder baixar em 26 minutos meu tempo além de poder entrar no ranking brasileiro de maratonas da contra relógio.
Quanto ao Rio, constatei o dito popular afinal ele realmente é lindo, e os poucos cariocas que conheci são gente fina, indiferente do que eu pensava anteriormente.

Já em relação aos treinos, esta semana ficarei parado para descanço, e na próxima voltarei aos treinos para as provas de triathlon que vem pela frente, mas estou com a mente lá na frente pensando nas provas longas que farei em seguida:


- Nissan X-Terra Ilha Bela (Setembro - 2010)


- Maratona de Buenos Aires (Outubro - 2010)


- Maratona de Porto Alegre (Maio - 2011)


- Le Tape Du Tour - França (Julho - 2011)


- Iron Man Brasil 70.3 - Florianópolis (Agosto - 2011)


Bons Treinos á todos.


Um comentário:

  1. Parabéns Bruno !

    Grande Exemplo ! Gostei muito das fotos. Precisamos marcar um dia para colocarmos as conversas em dia.

    Abração Brother !

    ResponderExcluir